O que é Mineração de Bitcoin e Criptomoedas?

0

O que é Mineração de Bitcoin e Criptomoedas? As criptomoedas surgiram como uma nova forma de pagamento e investimento que se tornou muito popular, a cada dia que passa mais pessoas se tornam adepta a esse novo movimento. A flutuação do preço do Bitcoin e das Altcoins atraiu muito a atenção daqueles que procuram não apenas investir, mas também minerar suas próprias moedas virtuais, pois mostrou ser muito lucrativo a longo prazo.

No entanto, a criação de uma criptomoeda não é tão simples quanto imprimir uma nota do banco. As moedas Fiat são altamente regulamentadas e operam sob uma autoridade central, que é responsável por emitir novas notas e destruir as mais antigas. O Bitcoin e a maioria das outras criptomoedas do mercado são gerados por meio de um processo conhecido como “mineração”.

Mineração de Criptomoedas e Blockchain

Vamos pegar o Bitcoin como exemplo, como vocês sabem ele não pode ser impresso como moeda fiduciária, a única maneira de criar mais moedas é com a mineração.

A complexidade por trás da criação de Bitcoins, origina-se do seu blockchain. Este livro-razão público é projetado para apoiar as atividades do Bitcoin e registrar todas as transações em sua rede.

O blockchain faz um registro toda vez que um Bitcoin é comprado ou vendido, com esses registros sendo reunidos em uma linha contínua de “blocos” conectados. Para que uma transação seja válida e seja concluída, ela precisa ser verificada por outros usuários na rede. Esse processo de verificação é fundamental para a integridade do Bitcoin, pois evita o problema do “gasto duplo” – em que os indivíduos tentariam e iniciariam várias transações usando o mesmo bitcoin.

A mineração de criptomoedas é efetivamente um processo de recompensar os usuários da rede com Bitcoin para validar essas transações.

Mineração de novas moedas

Quando uma série de transações é montada em um bloco, ela é então anexada ao blockchain. No entanto, para ser recompensado com Bitcoin, um usuário de “mineração”, ou “minerador”, precisa realizar duas tarefas: validar 1 MB de transações e ser o primeiro a descobrir um número hexadecimal exclusivo de 64 dígitos – também chamado de hash.

Da mesma forma que o blockchain, o usuário da rede, ou ‘nó’, também mantém um registro de cada transação. À medida que é notificado, as transações são validadas com uma série de verificações para garantir que são legítimas. As verificações incluem escanear as transações em busca de uma assinatura criptográfica única, que é criada no início do processo, e confirmar se ela é válida ou não.

Para ter uma chance de garantir um novo Bitcoin, todo minerador busca validar 1 MB dessas transações. Se forem bem-sucedidos, eles também terão que resolver um problema numérico que é conhecido como “proof of work”. Os usuários que conseguem gerar o número hexadecimal correto de 64 dígitos, ou “hash”, que é menor ou igual ao hash alvo associado ao bloco, serão remunerados com Bitcoin.

Devido à dificuldade da tarefa, a única maneira viável de encontrar o hash correto é calcular o máximo de combinações possíveis e, em seguida, esperar até que uma correspondência seja encontrada.

Para ter a chance de ser o primeiro a adivinhar um hash, um usuário precisa ter uma alta taxa de hash, ou hash por segundo, e quanto mais poderosa a configuração, mais hashes um usuário pode filtrar. Para visualizá-lo, imagine uma competição em que os competidores devem adivinhar o peso correto de um de um pão de queijo. Os participantes têm um número ilimitado de palpites e o primeiro a enviar o peso correto vence. Nesta competição, o vencedor provavelmente será o competidor que for capaz de fazer o maior número de adivinhações com a taxa mais rápida.

Limites da mineração de Criptomoedas

O que isso significa é que a mineração de criptomoedas é uma questão de competir em uma corrida altamente competitiva contra outros participantes, todos na esperança de conseguir o bilhete vencedor e obter um pagamento.

No entanto, esse não é o único desafio que você enfrentará se tentar minerar criptomoeda por conta própria. A dificuldade de calcular cada hash também aumenta artificialmente, a fim de manter um fluxo constante de blocos recém-criados. Isso significa que, à medida que a contagem de blocos aumenta, também aumenta o poder de processamento necessário para resolver cada cálculo e, portanto, fica mais difícil minerar como poucos recursos. Há também a questão dos limites rígidos para a circulação total. Por exemplo, dentro do blockchain Bitcoin, haverá apenas 21 milhões de moedas criadas no total, um design deliberado para evitar a inflação.

Nos primeiros dias de cada criptomoeda, é perfeitamente possível que usuários comuns participem da mineração, mas devido aos problemas descritos acima, a maturidade de criptomoedas como o Bitcoin, significa que não é mais possível usar computadores comuns. A complicação dos cálculos envolvidos, juntamente com o grande número de outras pessoas na rede, significa que a mineração de Bitcoin agora só pode ser feita com “fazendas” de processamento em grande escala – várias GPUs especializadas trabalhando em conjunto 24 horas por dia.

Na verdade, hoje em dia é quase impossível criar um retorno sobre o investimento com a mineração, já que os custos de energia necessários para alimentar as fazendas de GPU, geralmente superam o valor da própria moeda. Ou isso, ou você será forçado a canalizar a maior parte do que ganha para o funcionamento e manutenção do equipamento.

Como o hype do Bitcoin está mais ou menos aninhado na consciência pública mais ampla, as organizações têm investido valores cada vez mais consideráveis ​​nele, efetivamente industrializando a mineração de criptomoedas. Grandes armazéns lotados até o teto com estantes enormes cheias de placas gráficas caras, trabalhando com o único objetivo de minerar novas unidades de Bitcoin, Ether, Litecoin e assim por diante, tornaram-se comum.

A rede Bitcoin processa 5,5 quintilhões de hashes por segundo, o que significa que, a menos que você tenha o equipamento capaz de processar uma grande quantidade de cálculos em um espaço de tempo muito curto, as chances de você ser capaz de competir com operações industriais serão minúsculas.

Por esse motivo, os mineradores geralmente se unem e juntam recursos para maximizar suas chances de lucrar com o jogo de mineração de criptomoedas – criando “pools de mineração” – compartilhando seu poder, bem como quaisquer retornos que seus esforços possam gerar entre eles.

Leia também: COS.TV: Ganhe Criptomoedas Publicando e Assistindo vídeos

Deixe uma resposta